Eleições 2016: PCdoB de Fortaleza inicia discussão sobre estratégia
Eleições 2016: PCdoB de Fortaleza inicia discussão sobre estratégia

“O desafio que está posto é muito grande. O PCdoB tem participado com protagonismo das diversas atividades de resistência na capital cearense. A defesa da democracia e a denúncia do avanço de forças obscuras e neofascistas na manipulação deste golpe jurídico institucional midiático foram feitas com contundência nos últimos meses. E esse cenário impacta diretamente nas articulações políticas locais”, analisou Francinet Cunha, presidente do PCdoB de Fortaleza.

Além da questão nacional, os dirigentes presentes debateram o quadro político no município, as possibilidades de alianças e de lançamento de uma chapa própria para vereadores. Uma preocupação latente dos comunistas é dar prosseguimento ao fortalecimento do campo progressista, denunciando com firmeza o golpe e buscando o restabelecimento da democracia.

Orientações

No próximo dia 11 de junho será realizado o Conselho de Bases que reunirá os quadros dirigentes em torno da discussão sobre o momento político nacional e os desafios do partido nas eleições municipais. Na ocasião serão entregues os kits com as orientações para a realização das assembleias de base.

A convenção eleitoral está prevista para ser realizada no dia 30 de julho e terá como pauta a discussão e deliberação sobre as eleições municipais, as coligações majoritárias e proporcionais, e a chapa de candidatos.

Segundo resolução nacional, os delegados serão eleitos em assembleias de bases, plenárias de jovens comunistas e nas plenárias dos comitês auxiliares. Cada três filiados reunidos em assembleias de base elegerão um delegado para a convenção. No caso dos comitês auxiliares, cada assembleia de base por eles realizadas, terá direito a eleger um delegado.

O quórum mínimo de mobilização é de 50% do número de militantes mobilizados nas assembleias de base e plenárias no processo de conferências em 2015. Para votar, os delegados deverão estar em dia com a contribuição partidária.

Candidatas

O comitê diagnosticou um desafio a mais para os comunistas: a ampliação do número de mulheres candidatas. “Muitas das nossas porta-vozes nas ruas são lideranças femininas. Lançar suas candidaturas é investir também no nosso ideário, dialogando mais de perto com a sociedade”, analisa Cunha.

“Sabemos que a candidatura feminina tem um peso muito maior. A mulher, muitas vezes, tem que conciliar suas duplas e triplas jornadas cotidianas com a campanha e o enfrentamento do preconceito da sociedade. Mas se não enfrentarmos juntos essa realidade, nunca seremos capazes de transformá-la. Por isso, conclamamos nossas militantes a se sensibilizarem com essa estratégia, que terá consequências diretas no fortalecimento do nosso partido”, avalia.

Fonte: PCdoB de Fortaleza

Comente

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here