Presidente do PSB nacional defende candidatura própria à Presidência da República em 2018

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, disse que o partido se prepara para lançar candidato próprio à presidência da República em 2018 e que o Estado de Minas Gerais, assim como a região Sudeste, é decisivo para o projeto nacional. “Estamos preparando o partido para um voo mais alto, aquele que nós não pudemos dar em 2014 com o nosso querido e saudoso Eduardo Campos, daremos em 2018 com candidato próprio à presidência da República”, afirmou Siqueira, na segunda-feira (20/02), durante ato de filiação do deputado federal George Hilton, na Assembleia Legislativa de Belo Horizonte.

Siqueira lembrou do momento difícil vivido pelos socialistas com a morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, em meio à campanha presidencial de 2014, e do desafio assumido, ao ser escolhido presidente do partido, de mantê-lo unificado e fazê-lo crescer. “Assumi numa circunstância de extrema dificuldade pela perda do seu principal líder, e não assumi porque disputei, nem porque pedi, embora fosse o secretário do partido há muitos anos, mas assumi por ser convocado para cumprir a missão de unificar o partido e fazê-lo crescer. Nós conseguimos, crescemos nas eleições municipais, nos tornamos a terceira força política em votos para prefeitos”, comemorou.

O socialista disse que o partido se fortalece pelo trabalho de todos. “O PSB vai continuar crescendo porque a instituição que se fortalece é aquela que não depende apenas de uma pessoa, de um cacique, que não tem um manda-chuva. É aquela que é formada por muitos líderes municipais, estaduais e nacionais, por todos aqueles que têm mandato ou não, pela militância, pela juventude, pela negritude, pelos movimentos populares, pelas lideranças regionais, estaduais, municipais. Porque esse trabalho solidário, de todos os companheiros e companheiras, é que faz com que a instituição se fortaleça”, afirmou.

“E, ainda que venha a perder um companheiro ilustre, como lamentavelmente aconteceu com nosso partido, a instituição continua crescendo porque os grandes homens não morrem, eles deixam sempre o exemplo, o legado, o ideário aos seus seguidores”, ponderou.

Sonho e história

O presidente falou sobre o sonho dos socialistas, de transformar o país e multiplicar os bons exemplos de governantes e parlamentares do partido. “A vida é assim, a gente precisa sempre ter um sonho, e o sonho do nosso partido e daqueles que, de fato, são do PSB, é um sonho alto, grande, de transformar o país, mas não com o interesse no poder pelo poder, porque está comprovado que esses que sonham em chegar ao poder apenas para dele se locupletar, estão fracassando ou já fracassaram”, disse.

Ele afirmou que o PSB possui exemplos extraordinários de prefeitos, prefeitas, governadores, parlamentares, e que o partido tem uma longa história. “Somos um dos partidos mais antigos da história republicana, que completa sete décadas neste ano”, disse o presidente, lembrando dos 25 anos em que o partido foi proscrito pela ditadura militar.

Nesses 70 anos, afirmou Siqueira, o PSB sempre contribuiu para elevar o padrão da política, do padrão moral, ético e espiritual do povo brasileiro. “Não somos um partido fechado. Queremos levar nossas ideias à população brasileira, que vive um momento de bastante decepção com a política nacional, pra que desperte pra uma boa política, para bons políticos, para boas práticas, para boas políticas públicas, para que jamais a gente esmoreça”, destacou.

O dirigente socialista convidou os presentes a lutarem por um ideal e acreditarem no Brasil. “Porque quando a gente deixa de acreditar em um ideal, quando a gente deixa de acreditar no potencial do nosso país, a gente faz com que os que são maus políticos, os que não entendem de política prevaleçam sobre aqueles que buscam o bem público, que é a grande missão de cada um de nós”, concluiu.

O presidente citou o ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda e o vice-governador de São Paulo Márcio França como candidatos ao governo de seus Estados no próximo ano. “São dois projetos que eu chamo de carros-chefe do nosso projeto nacional em 2018”, disse.

O evento contou com a presença do presidente do PSB-MG e ex-prefeito da capital mineira Márcio Lacerda, dos deputados estaduais Antônio Lerin e Roberto Andrade, ambos do PSB; de outros dirigentes partidários nacionais e municipais, prefeitos, vereadores, secretários municipais, filiados e lideranças socais.

Recadastramento

Aos filiados, Siqueira reforçou a necessidade de participarem do processo nacional de recadastramento, por meio da Plataforma de Democratização da Gestão Partidária, lançada no mês passado. A plataforma permitirá ao partido atualizar os dados cadastrais de seus integrantes, realizar filiações, armazenar e administrar informações e consultar com rapidez seus mais de 645 mil filiados sobre temas relevantes.

Segundo ele, o recadastramento é uma etapa preparatória para o congresso nacional do partido, marcado para outubro deste ano. “A partir do congresso devemos deslanchar a nossa pré-campanha à presidência da República e fazer com que o nosso partido, que tem crescido neste momento de grande crise política, tem crescido, porque muitos apostaram, inclusive a imprensa, de que com a morte de Eduardo Campos, o partido se dividiria e pararia de crescer”.

Com informações do PSB Nacional

Comente