Jesualdo Pires, um nome para o Senado Federal

O que passaria na cabeça de um jovem recém-formado, recém-casado no início de década de 1980 em Ji-Paraná, trazendo na bagagem o diploma de engenheiro civil e a inquietude natural da idade rumo ao desconhecido, se alguém disse a ele que um dia seria deputado, prefeito da cidade que escolheu para morar e na condição de estar entre os favoritos a uma das vagas do Senado da República? 

Se isso fosse contado no fim da década de 1970 para uma roda de amigos do curso de engenharia Civil na Escola de Engenharia Mauá, considerada uma referência tecnológica no País, certamente, soaria como algo surreal, de quem teria abusado da cerveja na comemoração e, por isso, estivesse filosofando sobre sonhos inalcançáveis.  

Tudo por fazer na vida pessoal, não diferente de tudo por ser feito naquela ex Vila de Rondônia onde passou a construir sua história. Aos poucos os filhos foram chegando aumentando a família. Agora não era apenas Jesualdo Pires e Lilian Luizari: o casal estava na divina missão de povoar este pedaço de Brasil – três filhos, cidadãos rondonienses que despertaram um sentimento indescritível que só o amor pode externar.   

Amizades foram feitas e cultivadas até hoje, clubes de serviço com vistas ao bem comum da sociedade foram metas de missões cumpridas, a vida profissional de engenheiro civil transbordando para o setor empresarial, transformou o rascunho de uma pequena empresa numa das maiores construtoras de Rondônia. De repente, a política reascende o jovem universitário de movimentos estudantis alicerçados nos ensinamentos e exemplos de um pai sem estudos, mas, que transformou todos os filhos em doutores. 

Coisa boa atrai coisa boa, por isso, não se trata apenas de foco e obstinação, mas, uma luz de sorte tempera os caminhos do Jesualdo, pois, o volume de coisas boas que está acontecendo em Ji-Paraná com milhares de empregos gerados por parte da iniciativa privada, volume de obras estruturantes é como se aqui fosse o Brasil ideal, dos sonhos, do direito de todo Brasileiro que, infelizmente, a maioria convive com o descaso de mandatários corruptos, administrações deterioradas em uma ‘Brasília’ da umbigocracia de parte dos políticos que está mais preocupada em não ir para a cadeia e se apegam a todos os meios para se manter no poder.     

Esse Brasil real que reage, independente do Brasil destroçado dos umbigocratas, é a resposta que Ji-Paraná e Rondônia dão ao resto do País, esse mesmo País que, cuja economia começa e reagir, apesar das práticas temerárias.  

Diante de uma história de vida alicerçada no bom senso e na dignidade humana, posso dizer que Ji-Paraná contribui para Rondônia tendo Jesualdo Pires como um político em Ascenção. Alguém a quem posso chamar de amigo e que muito orgulha a minha geração.  

Se o Senado da República for o preço da tua renúncia como prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo,  o País estará bem servido com um senador e Rondônia privilegiada pelo teu passado que indica o que serás capaz. Que assim seja.  

 Roberto Gutierrez 

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *