Quem será o novo líder? Nem Thanos conseguiria prever!

Por Charlles D’Angelus

 

Não, não será um artigo sobre BBB (Big Brother Brasil) ou sobre a história em quadrinhos de um grupo de super-heróis (Vingadores – Marvel Comics). Muito mais do que enfrentar paredões ou usar uma capa, o novo líder político precisará de virtudes para desenvolver seus superpoderes. Esse perfil de liderança nem o poderoso Thanos conseguiria prever, menos ainda prever como será o nosso futuro pós-coronavírus.

No entanto, uma coisa é possível prever: o exercício da liderança na política passará por grande transformação. Muito se falou durante o século XX e durante as últimas décadas que as mudanças na sociedade seriam cada vez mais comandadas por líderes de diversos setores: empresarial, social, cultural, científico. Porém, mais do que os líderes de outras áreas, o líder político terá papel fundamental na reconstrução da nova civilização depois que a pandemia for superada. Em períodos de grave crise, como foram no passado as grandes guerras, se espera muito da classe política. Ao político caberá ser o grande protagonista deste ciclo de reconstrução, em meio a uma sociedade cada vez mais informada e conectada, cada vez mais consciente de seus direitos e cobrando diariamente ao poder público.

 

  1. Afinal, como será o Líder Político do Futuro? 

Primeiramente, vamos rememorar alguns elementos pontuais do que entendemos por liderança até então. Aprendemos que líderes, de uma forma geral, são aqueles que possuem a habilidade de influenciar pessoas a realizarem algo entusiasticamente conforme o seu direcionamento. Muitos acreditam ainda que a liderança, principalmente a liderança política, é quase uma vocação, um dom para alguém predestinado. Para gerar confiança, ser exemplo, bastava que o líder político tivesse carisma e boa apresentação física, então facilmente e naturalmente poderia, sendo ele maduro, comunicar-se e persuadir também os mais jovens e vice e versa. A apresentação comportamental e oral deveria ser também acima da média. Assim, grosso modo, tínhamos uma combinação perfeita do bom líder político.

A COVID-19 fez naufragar o que entendíamos por liderança política, tudo o que era clichê, conceito, desenho ou modo se enfraquece nessa crise sem precedência. Só a poeira da memória flutuará.

Será possível emergir um novo estilo de liderança política da noite para o dia? Pergunta complexa e difícil de responder. É como uma molécula plasmada que transmite esse novo gene, esse ácido desoxirribonucleico. É assim que novos ciclos começam, nascem como impulsos profundos de um improviso, surgem sem que ninguém saiba de onde vem e nem como. É como imaginar o lançamento de um ônibus espacial que precisa atingir uma velocidade tão grande que seja suficiente para libertar da forte força gravitacional da terra. Essa “velocidade de escape” é de no mínimo 25.020 mph, ou seja, o ônibus espacial deve romper os 11.200 quilômetros por segundo, a fim de fazer a órbita. Não é como na passagem do inverno para a primavera com transição progressiva e harmoniosa, mas sim um surgimento repentino e doloroso. É necessário implodir as convicções mais interiores, colocar abaixo todas as experiências vividas, tirar tijolo por tijolo, para nascer algo novo.

Um bom ponto de partida para responder ao vácuo gerado pelas mudanças está no resgate dos valores fundamentais. O Líder Político do Futuro é alguém que muito mais que modificar comportamentos, adquirir competências e projetar sua imagem, deve possuir em sua essência as virtudes cardeais. Platão as definiu como: a Prudência, a Fortaleza, a Temperança e a Justiça. Algo simples, mas que fora esquecido por muitos. Um conhecimento ancestral, clássico, atemporal e obrigatório, especialmente em um momento de grave crise como agora.

 

  1. As Virtudes e suas competências

A Virtude da Prudência deve remeter o líder político à reflexão, à capacidade de examinar os fatos, ajudando-o na tomada de boas decisões. Hoje, infelizmente no campo da política encontramos  decisões tomadas através de impulsos, alicerçadas pelas paixões, que mais comprometem negativamente os objetivos políticos ou eleitoral do que os favorece positivamente.

A Virtude da Fortaleza é a capacidade de enfrentar os desafios, faz com que se enfrente, empreenda, assuma deveres, tarefas e ideais elevados, faça resistir a qualquer tipo de pressão sem perder o rumo da sua trajetória como pessoa e como líder político.

A Virtude da Temperança, que geralmente remete sempre à moderação, deve ultrapassar no líder político uma mera moderação no comer, no beber, nos prazeres corporal e físico, mas deve ajudá-lo também a submeter às paixões, principalmente causadas pela chamada “mosca azul”, e ajudá-lo a dirigir seu espírito e consciência na realização da sua missão particular.

A Virtude da Justiça remete ao julgamento com imparcialidade e está diretamente ligada a excelência de suas ações e realizações. “O homem justo é aquele que faz o seu trabalho e cumpre o seu dever” (Plotino).

Às quatro virtudes acrescento ainda um coquetel de virtudes que chamo de virtude do autodomínio. Por mais que ela não seja citada diretamente nos clássicos de Platão e de São Tomás de Aquino, esse coquetel inclui as virtudes da flexibilidade, da humildade e da magnanimidade e deve ocupar especial lugar na prática de um líder político. O autodomínio é um dos requisitos fundamentais para o progresso da missão e para ajudar o líder político a manter-se com retidão rumo ao seu propósito. 

Todas essas virtudes estão relacionadas entre si. São como uma criança que se desenvolve por inteira. Não é natural ver o desenvolvimento de um ser em que cresçam somente os seus braços, somente as suas pernas ou somente a sua cabeça. Se algo assim acontece, sabemos que ali houve algum erro biológico. Assim também encaremos as virtudes cardeais.

Acrescento ainda que nenhuma virtude substitui habilidades de relacionamento e de comunicação ou conhecimentos em ciência política, porém o exercício das virtudes é parte imprescindível para qualquer pessoa que ocupe ou deseje ocupar o espaço público.

Posso ter mestrado em direito constitucional e ser o Deputado presidente da Comissão de Constituição e Justiça, mas se me faltar prudência, que conselho darei aos membros da Comissão? Como vou conseguir alinhar o objetivo da Comissão com os objetivos dos seus membros? Posso ser Ph.D. em economia e ser o gestor executivo de uma grande cidade mas se minguar a fortaleza, poderei manter as minhas decisões em face a uma intensa posição?

 

  1. Inteligência, vontade, coração

As virtudes que o Líder Político do Futuro precisará possuir são qualidades da inteligência, da vontade e do coração. Não é apenas sua popularidade que garantirá o sucesso da liderança política do futuro, o dom de eletrizar centenas de milhares de pessoas que muitos políticos adquirem com técnicas de PNL e de neuromarketing não serão mais suficientes. A aplicação dessas técnicas são capazes de gerar entusiasmo em curto prazo, mas ao final a consequência será o desprezo e a antipatia total ao ver um líder forjado em estratégias que estejam em dicotomia com as virtudes cardinais.

O Líder Político do Futuro deverá ter a capacidade de romper todos os grilhões da resistência, da oposição e das falhas da relação interpessoal com congruência, isto é, com integridade realizando alinhamento de crenças, valores, habilidades. Estando em rapport consigo mesmo e com flexibilidade, possuindo múltiplas escolhas de pensamentos para alcançar um resultado.

Para você que exerce ou deseja exercer uma liderança política, lembre-se: o futuro não é o lugar para onde estamos indo, mas o lugar que estamos construindo. O Líder Político do Futuro, também é o ser humano que você está construindo nesse exato momento onde o mundo, seu país, sua cidade e seu bairro estão vivendo uma crise sem precedência na história.

Diante disso, o que você tem feito para construir seu eu, Líder Político do Futuro?

“As virtudes humanas não são natas, são elementos que se constroem e complementam a personalidade de um grande líder ao longo da vida.” (Platão)

 

(*) Charlles d´Angelus é HEAD e CMO da D´Angelus Business and Life, Coach Político e Especialista em Mobilização e Treinamento. Escreve às quintas-feiras no portal Eleições Brasil.  charlles@dangelus.com.br

 

Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do portal Eleições Brasil, sendo de inteira responsabilidade de seus autores.

Print Friendly, PDF & Email

Comente essa notícia

Please enter your comment!
Please enter your name here