Na última sexta-feira (29), uma comissão eleitoral de Zâmbia, composta por oito representantes, esteve no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para conhecer o funcionamento do sistema eleitoral brasileiro e detalhes sobre a urna eletrônica. O país avalia a possibilidade de implantar o voto eletrônico. Após um tour pelas dependências do Tribunal, eles foram recebidos pelo presidente da Corte, ministro Gilmar Mendes.

O presidente do TSE lembrou que muitos países, inclusive desenvolvidos, vêm conhecer o funcionamento do sistema brasileiro de votação eletrônica. “Estamos procurando, na medida do possível, fazer este tipo de cooperação, levar para outros países esta tecnologia que desenvolvemos”, disse o ministro, que aproveitou para convidar os integrantes da comissão a visitar o Brasil durante as eleições do ano vem.

O ministro Gilmar Mendes avalia que levar o modelo de voto brasileiro, que é considerado um dos mais seguros do mundo, é uma das missões do TSE. “A Justiça Eleitoral compõe essa parte boa do Brasil que dá certo e se pudermos fortalecer a democracia de países coirmãos será importante”, afirmou.

Chomba Chella, diretor de Operações Eleitorais da Zâmbia, explicou que o voto ainda é realizado de forma manual naquele país. “Demoramos de 48 a 72 horas para ter os resultados. Nosso objetivo é conhecer a experiência brasileira com a urna eletrônica, para que possamos trazer melhorias para o processo eleitoral no nosso país”, destacou.

Durante a visita, a comissão de Zâmbia, país que fica no sul do continente africano, foi recebida pelo chefe da seção de Segurança Eleitoral da secretaria de Tecnologia da Informação do TSE, Luís Augusto Consularo, que esclareceu uma série de dúvidas dos visitantes sobre questões práticas, por exemplo, tempo de votação, documentos necessários para o eleitor votar, quantas urnas são necessárias por seção eleitoral, e outros questionamentos sobre segurança e confiabilidade.

Comente

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here